terça-feira, 23 de setembro de 2008

Tolerância Zero!

Andei meio out aqui do Blog, mas essa semana que passou me fez concluir que sou uma pessoa muito intolerante (obs: what else is new???). A começar que, com tudo resolvido pra gente ir pra SP pro casamento do Ricardinho, meu amigo querido de colégio, o Juba tem um problema no trabalho e a gente não pôde mais ir. - Bode n. 1 (esse bode tem muito a ver com o fato de eu não estar trabalhando e não (querer) entender compromissos de trabalho, mas enfim, o fato é que fiquei muito p. da vida!).

Passado (mais ou menos) o master bode de ficar aqui no Rio, o Juba amanhece sábado com uma mega dor de cabeça e, 1 hora depois eu começo a espirrar sem parar - resultado: os dois doentes e tendo que resolver várias coisas da reforma. Nem pudemos ficar curtindo a gripe, sem fazer nada. Não, tocamos pra loja de tinta, gastamos uma grana com isso (impressionante... no quesito Casa e Casamento a unidade mínima de valor é mil reais!), saímos de lá, almoçamos e fomos atrás de lustre, luminária, enfim. Não tem nada parecido com Yamamura aqui! Ou, corrigindo, se tiver, ninguém sabe informar. Ou até informam, mas da seguinte forma: 

"Olha, acho que tem uma loja grande lá em São Cristóvão, perto ali da feira, sabe? Fácil lá, só perguntar, todo mundo conhece. Não, pensando bem, não é São Cristóvão não, na verdade ali já é Benfica, sabe, ali, Benfica? Bem grande a loja, boa mesmo, vai lá!"  Vou, claro... só se eu me teletransportar, pq endereço não tem, nome também não, ponto de referência nem pensar... assim tá fácil!
Tudo bem. Que venha o domingo (quem sabe as coisas melhoram e a gente consegue concluir a reforma, ter uma casa, essas coisas....).
Domingo fomos tomar café num lugar que se assemelha a uma padaria (mas esse conceito paulistano não existe muito aqui... ok, sem falar mal do Rio à toa pq aqui é legal). O Ju encontrou um conhecido de SP junto com a esposa e o ápice da minha alegria foram os dois casais (eu e Ju e o conhecido e esposa) numa mesa pertinho, lendo o Estadão. Ah, que saudades de São Paulo! Pelo menos isso, um programinha paulistano pra melhorar meu fim de semana!

Parte 2: Vinda dos pintores (do interior se SP) e tentativa de comprarmos um colchão. Ligo no Carrefour: 
(Fe) - Boa tarde, gostaria de uma informação.
(Atendente) - Sim.
(Fe) - Vc tem colchonete?
(Atendente) -Ãhã
(Fe - de propósito) - Alô? (Tipo fingindo que não entendi... hehehe)
(Atendente) - Tem colchão sim.
(Fê - pensando: que tipo de resposta é essa: "ãhã"?) Achei um absurdo essa resposta, falta de educação, fala direito, pô! Tenha dó!

Fomos lá pra Barra (gente, desculpem, mas a Barra é outra cidade. É muito longe, não tem nada a ver com o Rio aqui mais pro centro, super diferente. Tudo grande, espaçado, tem que fazer tudo de carro... Acho legal, parece que a gente tá numa cidade de passar férias, mas acho que deve ser dificil pro pessoal que mora lá e trabalha no centro...). Enfim, compramos o colchão e tentamos achar loja de luminária (somos paulistas e não desistimos nunca! Ok, não foi engraçado... tudo bem). Chegamos perto do fim do Estado num shopping: Rio Design Barra - conclusão lógica: Shopping de Design, móveis, tipo D&D. Beleza, entramos e aí: 2 lojas de cozinha, uma loja meio estranha com flores artificiais e vááárias lojas legais - de roupa e sapatos.
Não entendemos nada, almoçamos e eu já naquele humor: Por que a gente não entende o que os cariocas falam? Caminho certeiro para ficar intolerante já na próxima investida mal sucedida...

Balanço do fds: chegou a segunda feira, nada resolvido, perdemos o casamento, ficamos gripados.

Segunda-feira:

a) Pintores chegaram (Ufa!)
b) Marceneiro foi trabalhar! (Ufa 2)
c) Cara do gesso, para variar, não apareceu (isso pq ele ia começar segunda passada e em 2 dias estaria pronto - mas sabem como é, choveu, tinha trânsito, e tal, então eles chegaram só na quarta passada. Como quinta tb choveu, eles apareceram novamente só na sexta. Sábado não conta, né?  E ontem como foi segunda, eles só começaram depois das 13:30. Muito bom! Isso pq a empresa está há 35 anos no mercado carioca!) Aí, chego lá às 15:00 e o moço tem a cara de pau de me dizer o seguinte:
- Olha só, não vai dar pra terminar hoje por que só pode fazer barulho aqui no prédio até às 17hs, então como já são 15hs... sabe como é, né? Vou ter que voltar amanhã...

- (Fernanda - tolerância master mega ultra zero): Não, você vai terminar amanhã NÃO por que no prédio só pode fazer barulho até às 17hs, MAS por que você chegou às 14hs!!!!!!!! Aliás, se você não terminar amanhã vc pode tirar todo o seu material por que vc não precisa mais voltar, ok? Valeu! Tchau.

É isso minha vida nesse momento. Agora deixa eu ir até o apê ver se ele conseguiu e se eu fui brava o suficiente (ou se minha braveza paulistana nem afeta o relax carioca! - De vez em quando admiro a tranquilidade desse pessoal viu? Mas de vez em quando também...)

5 comentários:

Olly disse...

Fala sério!!!! Eu já tinha surtado!!!!! Juro!!!!

beijos

Mari disse...

cristo... e eu achando que tava passando perregue aqui!
(gente, ricardinho casou! tô bege!)
beijo!

Tatiana disse...

Vc fez uma super falta, snif...
Mas calma Feli! Outubro tá chegando, e junto com ele eu aí no Rio!
bjos

nana disse...

por que você não compra essas coisas em sp e manda entregar no rio? ou manda ver um seu antônio mesmo?

hoje tb estou num dia meio tolerância zero, depois de um fim de semana um pouco mal-sucedido em londres e uma empregada polonesa sem nenhuma iniciativa.

Daniely Novo Kamaroff disse...

Perdoe-me a invasão, mas achei seu blog no Eu Queria Ser Amélia e já me diverti com os seus posts..rs
Eu moro perto da Barra (que não é outro Estado, deixa de ser exagerada..rs) e como vi que vc foi no Rio Design deixa eu esclarecer, para vc entender o nome do shopping: Ele, ANTIGAMENTE, era um shopping que só tinha loja de decoração e coisas para casa. Todavia, ele vivia ás moscas, então a nova direção resolveu elitizar ele e colocar somente lojas de ponta, para que o público fosse só gente com grana...rs
Mas não mudaram o nome...
Coisas do Rio....rs
Bjs